Team Work a liderar processos de mudança desde 1997

Quando confrontados com um processo de mudança, em geral, os colaboradores das empresas vão “estranhar” e questionar o porquê da intenção de alteração do status quo atual. “Para quê mudar se o que fizemos até aqui funcionou sempre bem?”, “Que sentido dar à mudança pretendida?” ou mesmo “O que ganho eu com isto?” são algumas das primeiras questões que pairam na mente de um colaborador perante um processo desta natureza.

Em determinados momentos é possível mudar, como resultado natural do processo de evolução das equipas de modo contínuo, noutras é preciso revolucionar de forma descontínua e, se necessário, disruptiva com o passado. Tudo isto com base naquilo que a realidade solicite a cada momento, aprendendo com os erros e nunca esquecendo o que conduziu a determinados sucessos.

A Team Work pode ajudar as organizações na facilitação de processos de mudança, treinando os seus quadros na aquisição dos novos hábitos conducentes a um novo paradigma, para que os colaboradores consigam “entranhar” a mudança de atitude e a transformação pretendida, através de:

1) Diagnóstico: identificação do estado atual e dos comportamentos a transformar a diferentes níveis; definição dos resultados a atingir com o processo;
2) Treino comportamental:
- preparação das lideranças para que sejam os timoneiros e os primeiros a dar o exemplo com a sua atitude diária na mobilização das equipas;
- treino de campeões da mudança, i.e., elementos chave das equipas estrategicamente identificados para serem agentes de influência junto dos seus pares;
3) Follow-up: acompanhamento e monitorização de resultados;
4) Comunicação: envolvimento, divulgação de resultados e pequenas vitórias, reconhecimento e distinção das melhores práticas;

Como preocupações centrais, não devemos resistir àquilo que a realidade vai exigindo, sabendo identificar e adotar as boas práticas, com a consciência clara que todas elas perdem no tempo o seu prazo de validade. Adicionalmente, também é muito importante acreditar que ganhamos alguma coisa com a mudança e fazer perceber às pessoas que a mudança trará benefícios a médio longo prazo que seriam impossíveis de alcançar mantendo-se tudo como estava.

No fundo, é uma questão de atitude! Não é o que sabemos ou dizemos que é o mais importante, mas sim o que fazemos (todos os dias!). As ações falam mais alto que as palavras e o comportamento é que conta!

Mais Notícias

Entrevista Engº Adolfo Silva - Brose Portugal

"Brose Portugal."

Ver mais

Intervenção Jorge Araújo

"Associação Portuguesa de Contact Centers."

Ver mais

Pensar e Intervir como um Treinador

"MEGASIS."

Ver mais